quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Felipe Costa avalia a categoria e diz: ‘Melhor peso galo é o Caio Terra’

A pouco mais de um mês do Pan-Americano, que vai acontecer nos Estados Unidos, os atletas intensificam suas preparações para chegarem com condições de alcançarem o lugar mais alto do pódio. E é dessa maneira que Felipe Costa finaliza seus treinamentos.

Minha preparação vem sendo com Itallo Vilardo, que me dá muita confiança. Dentro do tatame, além da minha equipe Brasa, tenho participado do treino dos leves, já tradicional e nas academias Soul Fighter e De La Riva, que tem atletas de excelente técnica além de serem pessoas de caráter”, disse, em entrevista à TATAME.
Questionado sobre quais adversários poderão complicar seu caminho ao título, o faixa-preta não ficou em cima do muro e apontou, segundo ele, o melhor peso galo do momento.

“Espero uma grande competição, com grandes nomes presentes e uma medalha de ouro. Todos são muito bons e difíceis adversários, mas acredito que o melhor peso galo é o Caio Terra”

Levantando a bandeira do doping

Com a iniciativa de usar o exame antidoping na próxima edição do Pan, os lutadores comemoraram a evolução do esporte nesse quesito.

“Eu fui um dos que mais levantei essa bandeira, junto com (Rodrigo) Comprido e Caio Terra. Antes o doping era legal, apesar de imoral, e agora além de imoral é ilegal. Oficialmente quem usa está trapaceando, mesmo que dê a sorte de não ser pego”.

Agora com os testes, muitos atletas terão que passar pelos exames para provarem que estão “limpos”. Para o peso galo, é difícil prever se os campeões mudarão, mas afirmou que muitos utilizavam substâncias ilegais pelos físicos que conseguiam.

“Todos sabemos que muitos usam. Não é questão de crença, é um fato. Claro que é injusto apontar esse ou aquele sem provas, mas basta olhar para o físico deles. Não se consegue esse tipo de físico apenas com alimentação saudável. Compare os ídolos do Jiu-Jitsu nos anos 80 até 2000 com os campeões de hoje. É cedo para dizer se os resultados mudarão, até por que o teste não será surpresa e apenas um percentual pequeno será testado. De qualquer maneira isso é um grande começo e espero que a IBJJF siga com essa evolução, quem sabe com o tempo os testes não se tornam surpresa e ajude a tornar as disputas ainda mais justas”.

iN|